Inovação é Contextual…

Entrega do prêmio mundial no Canadá. 17/05/2017

Imaginava que seria assim mesmo. Tudo ao mesmo tempo, muitos debates, muitas ideias e inúmeras possibilidades de inovação em transporte público. Big Data, Open Data, Design Thinking norteando as adequações nos processos de gestão, cada vez mais horizontais, compartilhamento de dados e o empoderamento das inteligências de análise de dados e de suas integrações multidisciplinares, são algumas pinceladas do que se falou em Montreal, Canadá, durante do Congresso Mundial de Transporte Público da UITP, entre 15-17 de maio deste ano. O evento reuniu 2500 participantes de 84 países e 330 expositores. E o melhor de tudo, a Addax Assessoria Econômica e Financeira o Sistema Integrado Metropolitano da EMTU/SP saíram com prêmio mundial, o único da América Latina nesta edição.

A categoria foi a Modelos de Negócio e de Financiamento Inovadores e a Parceria Público Privada voltada para a prestação dos serviços de transporte intermunicipal – que inclui a operação do VLT, dos ônibus, o fornecimento de sistemas e veículos – nos nove municípios da Baixada Santista considerada pela UITP a inovação mundial.

No âmbito da América Latina saíram premiados também do Brasil a Via Quatro, empresa operadora da Linha Amarela do Metrô de São Paulo, foi considerado a melhor prática de Promoção, Comunicação e Mobilidade Urbana com o Projeto Lotação de Trem, no qual a tecnologia cruza uma série de informações em tempo real para informar ao usuário as portas mais vazias para o embarque antes mesmo do trem chegar à plataforma. Também a Autopass recebeu reconhecimento latino americano na categoria Comunicação, com a campanha feita para o Cartão BOM, “Mais de 6 milhões de cartões. E milhares de histórias”, em comemoração a marca de 6 milhões de cartões emitidos.

Demanda x velocidade

Realmente as sociedades demandam velocidade e adequações ao ecossistema do transporte público. Algumas podem até ser disruptivas, mas se não forem tudo bem, desde que melhorem o cotidiano das pessoas, OK. “A inovação não precisa ser uma mudança de jogo…, as soluções como inovação são contextuais”, afirmou Leon Daniels, diretor de Transporte da Transport for London, empresa responsável pela rede de transporte em Londres, em sua apresentação no UMii – Forum de Inovação da UITP, durante o evento internacional. Verdade!

O que mais se mostrou neste mundial foram as mudanças conceituais de como fazer a gestão de um negócio com vastas características similares em todo o mundo. O momento agora é o de aplicar novos métodos que busquem soluções de desafios dentro das próprias instituições em conjunto com a sociedade para melhorias destas gestões, com maior velocidade, menos custeio e com índice de aceitação elevada dos clientes.

Exemplo disso é a TfL que desde que abriu seus dados operacionais (Open Data) conseguiu atingir números assombrosos dessa interface com a sociedade. Cerca de 8.200 desenvolvedores obtêm livremente os dados da empresa o que já contribuiu para a criação de 500 Apps de mobilidade urbana. E vejam só…. mais de 40% dos usuários londrinos se beneficiam destas informações disponíveis. Não é à toa que alguns dos slogans da empresa são “Mantendo Londres em movimento” (Keeping London moving) e “ Toda jornada importa” (Every Journey Matters) e para isso utiliza 32% de cada Libra que recebe para ações de futuro.

Bem, mas a vedete foi mesmo os tais carros autônomos – veículos sem motorista, inteligência artificial à serviço do transporte público. Realidade inegável.  A pergunta não é mais se eles virão, mas quando estarão disponíveis em qualquer lugar. A empresa francesa Navya, especializada em sistema elétrico e autônomo para transporte, deixou disponível aos participantes do evento um modelo do autônomo, já em operação em diversos lugares, incluindo Sion, pequena cidade de 30 mil habitantes nos alpes suíço.

Energia limpa, sob demanda e com excelente resultado nos primeiros e últimos trechos de uma viagem cotidiana. Vídeo do veículo em operação Esta opção sustentável está mais próxima do que imaginamos. Google, Uber, Samsung e outras empresas já fazem testes com eles. Na Suécia há até caminhões autônomos de lixo  em funcionamento. https://youtu.be/ZSL2H9JBWbI  O que virá mais por ai?

O desafio do dinamismo

E de fato fica difícil inserirmos dinamismo neste monstruoso setor, seja por volume de dados, seja por número de transportados, sem que tenhamos os jovens. E saber que a EMTU/SP contribuiu com o envio de dois deles para a Hackatona mundial que aconteceu em Montreal foi demais. Os irmãos Salles – Gustavo e Mateus – venceram a 1ª Hackatona Metropolitana de Transporte Público do Brasil, organizado pela Metra e EMTU/SP em março deste ano. “Aqui abrimos nossas mentes para além de um aplicativo em mobilidade. Aqui entendemos mais sobre o negócio mobilidade”, afirmou ainda em Montreal Gustavo Salles. Sairam de lá com mais gás para o [E] Lab – Experimentos em Transportes que começará a funcionar em junho-17 na unidade de São Bernardo do Campo da EMTU.

Este slideshow necessita de JavaScript.

“Não levantamos muros, construímos pontes”. O prefeito de Montreal, no Canadá, encerrou sua participação no Congresso Mundial de Transporte Público da UITP com esta frase que levantou a plateia de mais de mil pessoas.  Referia-se obviamente ao presidente do Estados Unidos e à ponte que a cidade constrói neste momento e que em até dois anos servirá ao futuro VLT, o primeiro da cidade.

Mas nos faz pensar que também no transporte público não há de se limitar, dividir, segregar, mas sim integrar as pessoas e criar caminhos que as levem para onde desejarem, sempre oferecendo alternativas usáveis em tempo hábil e com democrático acesso à sua utilização. Tarefa por vezes complicada, custosa e com inúmeras interferências políticas. É assim aqui, é assim em Dubai, é assim em Montreal. As mudanças tecnológicas e comportamentais da sociedade, cada dia mais velozes, ficam bem distantes das adequações que o setor público de mobilidade deveria fazer para acompanha-las. Desafios a serem superados para quem tem paixão por este setor.

O próximo evento será em Estocolmo, na Suécia, entre 9-12 de junho de 2019.

Estive no Congresso Mundial de Transporte Público da UITP em nome do presidente da EMTU/SP, Joaquim Lopes Jr., e com muita honra trouxe para o Brasil e para a América Latina o prêmio de reconhecimento mundial. Gratidão pela experiência!

2 Respostas para “Inovação é Contextual…

  1. Muito bom o texto! Esta transição para a abertura dos dados para todos ainda irá trazer muitos benefícios e soluções para o mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.